Ainda sem acordo, Câmara deve deixar votação do fundo financiamento eleitoral para terça-feira
5 (100%) 2 votes

Jornal JA7: 02 outubro 2017 – 21:04

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse na segunda-feira que ainda não há acordo para votar o texto produzido pelos senadores que cria um fundo de financiamento eleitoral.

Maia acrescentou que, se a falta de consenso sobre o texto for confirmada, deve colocar à votação um outro texto que trata do mesmo tema, de autoria do deputado Vicente Cândido (PT-SP).

“Você ainda não tem texto. Vamos ler o texto do Sr. Vicente hoje … e tentaremos construir um acordo amanhã”, disse o prefeito aos repórteres.

“Se você tem um acordo para o fundo, vote, se não tiver, vote apenas o texto de Vicente Cândido”.

Anteriormente, o presidente do Senado, Eunicio Oliveira (PMDB-CE), pediu que a Câmara vote o texto produzido pelos senadores para criar o fundo, com o compromisso de pedir um veto presidencial sobre pontos que desagradam os deputados.

Eunice argumentou, depois de se encontrar com Maia, que não há mais tempo para a votação no texto de Candido.

“Não há mais tempo para a Casa mudar e devolver esta mudança ao Senado para aprovar”, disse ele, referindo-se a um dispositivo que foi fortemente resistido pelos deputados europeus, evitando que os recursos do partido fossem utilizados para campanhas eleitorais de deputados e vereadores.

“Estamos empenhados em falar mesmo com o Presidente da República”, disse ele, acrescentando que, para encerrar o acordo, ainda havia um “entendimento” com o PR.

De acordo com o presidente do Senado, ainda haveria uma reunião com Cândido para decidir como proceder com o texto preparado pelo deputado.

Na semana passada, o relator já havia avançado trabalhando em um texto que incluiria a idéia do Senado de usar as dotações de alterações de mesa.

Também indicaria outras fontes para o fundo eleitoral, como parte dos recursos alocados para fundações ou institutos de educação política e medidas econômicas no Legislativo, além de deixar aberta a possibilidade de o fundo do partido irrigar o fundo de financiamento de todos os campanhas.

Maia aproveitou a oportunidade para reafirmar que a acusação contra o presidente Michel Temer e dois ministros deve ser analisada pela plenária da Câmara na semana de 23 de outubro.

 

Tags: Política, Manchetes