FAO: 1/3 da população da América Latina vive em áreas de risco de desastres
Avalie esta postagem

Cerca de cinco milhões de pessoas são afetadas por desastres naturais na América Latina, onde um terço da população vive em zonas de alto risco, alertou nesta segunda-feira a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO).

De acordo com a FAO, anualmente ocorre cerca de 70 eventos climáticos extremos na região, enquanto que 70% das emergências na América Latina estão relacionadas com o clima.

“Os desastres têm o potencial de alterar de forma severa a trajetória de crescimento de países e regiões completas: os países em desenvolvimento perderam cerca de 93 bilhões de dólares em cultivos e pecuária por desastres naturais entre 2005 e 2014”, informou a FAO em um documento divulgado por sua sede em Santiago.

A seca provocou na agricultura até 80% dos danos nos últimos 10 anos, enquanto que os países em desenvolvimento sofreram 23% das perdas e danos causados por todos os desastres.

“Ao não mediar ações importantes de adaptação à mudança climática, os custos anuais para enfrentar os desastres na região poderiam chegar a 2,2% do PIB regional”, apontou a FAO.

A organização propõe que a aplicação combinada de várias tecnologias e boas práticas agronômicas para o manejo do solo e da água, melhoras de infraestrutura e variedades de cultivos tolerantes ao estresse trarão benefícios econômicos que são mais de quatro vezes superiores em relação às práticas habituais nas zonas propensas a riscos.

 

AFP