DestaqueManchetesMundo

Jornal JA7 – Blast visa o comboio do PM palestino durante a rara visita de Gaza

O primeiro-ministro palestino Rami Hamdallah chega na cidade de Gaza em 13 de março de 2018 para uma visita rara que foi interrompida após uma explosão perto de seu comboio.

Uma explosão visou o comboio do primeiro-ministro palestino, Rami Hamdallah, quando chegou na Faixa de Gaza na terça-feira para uma visita rara, ferindo levemente sete pessoas, disseram autoridades e testemunhas.

Hamdallah não foi ferido na explosão, que ocorreu pouco depois que seu convoy entrou no território administrado pelo movimento islâmico Hamas, disse uma fonte de segurança no comboio.

O chefe de inteligência palestino, Majid Faraj, fazia parte do comboio, mas também não havia dano, disse a fonte de segurança.

Uma fonte de segurança separada em Gaza disse que o comboio também foi disparado por homens armados desconhecidos no momento da explosão. As forças de segurança do Hamas fecharam a área.

Uma declaração sobre a mídia oficial palestina disse que o presidente Mahmud Abbas considerou que era “um alvo covivel” do comboio de Hamdallah e manteve seus rivais responsáveis ​​pelo Hamas.

Não houve reivindicação imediata de responsabilidade. Os islamistas radicais que se opõem ao Hamas também operam dentro da Faixa de Gaza e têm estado regularmente por trás da agitação.

Hamdallah apareceu na televisão pouco depois da explosão quando abriu uma estação de tratamento de águas residuais no território, mas deixou pouco depois – cortando sua visita, disse uma fonte em sua delegação.

Esperava-se que realizasse vários outros compromissos antes de partir.

O ministério do Interior do Hamas confirmou que houve uma explosão e disseram que prenderam três suspeitos quando começaram uma investigação.

– “Mãos mãos” –

Uma declaração do Hamas condenou o ataque, dizendo que foi feito pelas “mesmas mãos” responsáveis ​​pelo assassinato de uma figura sênior do Hamas, Mazen Faqha, e a tentativa de assassinato de outro ano passado.

Hamas culpou o assassinato de Faqha em Israel. O segundo ataque, uma explosão visando o chefe de segurança do Hamas em Gaza, é amplamente acreditado para ser o trabalho de islâmicos radicais.

O Hamas criticou a acusação de Abbas, dizendo que “alcançou os objetivos dos criminosos”.

A explosão chegou a algumas centenas de metros depois que o comboio de Hamdallah atravessou o posto de controle da Autoridade Palestina no território controlado pelo Hamas.

Dois carros com janelas explodidas estavam sendo removidos da cena da explosão pouco depois, informou um correspondente da AFP.

A visita ocorreu quando os esforços de reconciliação entre Hamas e Fatah de Abbas falharam.

As duas principais facções palestinas assinaram um acordo em outubro, que deveria ver os islamistas entregarem o poder, mas acabou de derrubar.

Uma das principais mudanças nesse acordo foi o Hamas entregando o controle nas fronteiras de Gaza à Autoridade Palestina em novembro.

Mas o Hamas mantém o controle total do resto da Gaza, com a força policial e a ala armada ainda operando em todo o território.

O futuro dessa ala armada, que lutou três guerras com Israel desde 2008, provou ser um dos maiores pontos de adesão na implementação do acordo de reconciliação.

O Hamas tomou Gaza da PA em uma guerra civil próxima em 2007 e muitas tentativas de reconciliação já falharam.

O governo de Hamdallah é reconhecido pela comunidade internacional, enquanto o Hamas está na lista negra como uma organização terrorista pela União Européia e os Estados Unidos.

A Casa Branca deverá realizar uma conferência sobre a deterioração da situação humanitária em Gaza na terça-feira, mas não está claro se algum funcionário palestino vai quebrar seu boicote às autoridades dos EUA para participar.

Os palestinos ficaram furiosos com a decisão do presidente Donald Trump de romper com a política norte-americana de longa data ao reconhecer Jerusalém como a capital de Israel.

Israel manteve um bloqueio de Gaza desde 2007, o que diz que é necessário isolar o Hamas, enquanto o Egito também manteve sua fronteira com o enclave em grande parte fechado.

Jornal JA7 – Blast visa o comboio do PM palestino durante a rara visita de Gaza
5 (100%) 1 vote
Tags
Mostre mais

# Fábio Chaves

Fábio Chaves é jornalista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *