ManchetesMundo

Mundo: Novo procurador da Venezuela nega ‘validade’ de denúncias de antecessora Luisa Ortega

Mundo: Novo procurador da Venezuela nega ‘validade’ de denúncias de antecessora Luisa Ortega
Avalie esta postagem

Mundo: Novo procurador da Venezuela nega ‘validade’ de denúncias de antecessora Luisa Ortega. “Não é válido o que pode ser dito por uma ex-procuradora-geral que, em quase 10 anos, não trouxe nenhuma ação contra qualquer das pessoas que ela fala

24/08/2017 – 00:57:37

A ex-procuradora-geral da Venezuela, Luisa Ortega, que disse na quarta-feira que tinha provas que vincularam o presidente Nicolás Maduro e outros altos funcionários ao caso Odebrecht, faltaram “validade legal”, disse seu sucessor, Tarek William Saab.

“Não é válido o que pode ser dito por uma ex-procuradora-geral que, em quase 10 anos, não trouxe nenhuma ação contra qualquer das pessoas que ela fala. Aviões privados […] Não tem validade legal”, Saab Disse uma coletiva de imprensa.

Ortega, que afirma ser vítima de perseguição política, deixou a Venezuela em um iate em direção a Aruba e depois embarcou em um avião arrendado para a Colômbia, onde chegou na sexta-feira. Na terça-feira, ela viajou para Brasília para participar de uma reunião de advogados do Mercado Comum do Sul (Mercosul).

Na reunião de quarta-feira, a ex-procuradora acusou Maduro e outros dois poderosos funcionários do governo, Diosdado Cabello e Jorge Rodríguez, de participar do escândalo do empreiteiro da Odebrecht.

Mais tarde, a Ortega assegurou que ele terá “muitas provas” de sua queixa e as compartilhará com o Brasil, Estados Unidos, Colômbia e Espanha para investigações.

“Teria validade legal se essa alegada evidência tivesse sido apresentada ao sistema de justiça venezuelano”, disse Saab, que chamou as marcas de “propaganda para difamar”.

Na terça-feira, Maduro anunciou que pediria à Interpol que detinha um mandado de prisão internacional contra ela e seu marido, Germán Ferrer, acusado de administrar uma rede de extorsão no Ministério Público.

A Saab destacou a Ortega por “negligência” em casos de tráfico de drogas, corrupção e direitos humanos, ignorando seus esforços em fóruns internacionais.

Há “uma espécie de turnê mundial que vai de ilhas do Caribe para Colômbia, da Colômbia ao Brasil, do Brasil para eu não sei onde … Eu teria que ver quem bancaria essas viagens”, comentou.

Após sua chegada a Bogotá, o governo de Juan Manuel Santos ofereceu asilo a Ortega. Depois de participar da reunião dos procuradores do Mercosul, ele retornará ao solo colombiano.

Ortega, um chavista que se rebelou contra Maduro, foi procuradora desde dezembro de 2007 e foi expulso em 5 de agosto pela Assembléia Constituinte que governa o país como um poder absoluto, que nomeou Saab no mesmo dia.

 

Mundo, Manchetes

Deixe uma resposta

Close