Brasil

Novo acidente deixa 12 feridos nos desfiles das escolas de samba no Rio

Novo acidente deixa 12 feridos nos desfiles das escolas de samba no Rio
Avalie esta postagem

Um grave acidente, o segundo em duas noites de desfiles das escolas de samba, voltou a abalar o carnaval no Rio de Janeiro.

Doze pessoas ficaram feridas na madrugada desta terça-feira, duas delas em estado grave, em um acidente com o segundo carro alegórico durante o desfile da Unidos da Tijuca.

A parte superior da alegoria desabou sob o peso dos integrantes.

De acordo com a secretaria de Saúde do município, entre os feridos há dois casos considerados graves, “um com traumatismo craniano e outro com ferimentos no abdome”.

O acidente foi o segundo registrado na Sapucaí em dois dias de desfile do Grupo Especial, depois que 20 pessoas ficaram feridas quando um carro alegórico da Paraíso do Tuiuti perdeu o controle e prensou muitas pessoas contra uma grade no domingo à noite.

Três mulheres permanecem internadas e uma delas respira com a ajuda de aparelhos, segundo o boletim médico mais recente.

O problema na madrugada desta terça-feira aconteceu quando o segundo carro alegórico da Unidos da Tijuca se preparava para entrar na Marquês de Sapucaí.

“Eu estava do lado esquerdo e vi a parte da direita do teto desabar. O pessoal caiu e tinha gente presa nas ferragens”, afirmou à AFP, sem conter as lágrimas, Raissa Pinheiro.

As ambulâncias se aproximaram do local do acidente para retirar os feridos, em meio a uma grande confusão.

Após vários minutos parado, o carro alegórico percorreu todo o trajeto da passarela, sob os aplausos do público, com alguns bombeiros presentes e alguns componentes da escola aos prantos.

“Essas coisas acontecem, mas as questões da segurança têm que ser revistas, com o que está acontecendo. Quando a gente trata de carnaval, as coisas são sérias. Trabalhamos o ano todo, então quando acontece uma situação dessa, acho que fica todo o mundo chateado em relação a tudo”, afirmou Washington Luis, que desfilou pela Unidos da Tijuca.

Uma perícia na alegoria foi realizada ao final do desfile, sob a chuva.

Antes da Unidos da Tijuca, desfilaram União da Ilha, São Clemente e Mocidade Independente de Padre Miguel.

Após o grande susto com acidente da escola da Tijuca, passaram pela avenida as tradicionais Portela e Mangueira, atual campeão do Grupo Especial.

Apesar da preocupação do público, o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, afirmou que os dois acidentes tiveram “características diferentes” e que terem acontecido no mesmo carnaval foi uma “coincidência”.

“Isto nunca poderia ter acontecido. É um verdadeiro desastre”, opinou Rafael, condutor de um carro da União da Ilha.

Outro incidente, sem gravidade, aconteceu durante o desfile da Mocidade, quando uma mulher caiu de uma altura de 1,50 metro após a queda de parte da estrutura de um carro alegórico.

Apesar da imagem impressionante, a integrante da escola saiu ilesa.

AFP

Deixe uma resposta

Close