Superfaturamento do Aeroporto de Goiânia é investigado pelo TCU
Avalie esta postagem

Construção do Aeroporto de Goiânia esta sendo investigada pelo TCU

Por Folha de Goiás

A construção do aeroporto de Goiânia foi superfaturada em R$ 211,6 milhões. A Operação Lavajato a citou como pagamento de propina pela Odebrecht. O prejuízo calculado pelo TCU (Tribunal de Contas da União) somando o contrato e os aditivos chega a R$ 564 milhões.

O TCU recebeu dezenas de projetos negociados com a Odebrecht em troca de suborno. Após a auditoria teremos a dimensão do rombo causado no país.

A Odebrecht junto com a subsidiária Braskem, que atua no setor petroquímico,confirmaram a distribuição de R$ 3,4 bilhões em propinas a 12 países através de servidores e autoridades. Os dados constam de relatórios do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, mas ainda precisam ser apurados.

De acordo com a Planilha do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, o “setor de propinas” foi relatado o pagamento de suborno a dois agentes públicos da Infraero, identificados pelos codinomes “Americano” e “Americano Velho”.

O início da obra do aeroporto de Goiânia foi em 2005. Após apenas um ano ,o TCU constatou o superfaturamento de R$ 47 milhões nos contratos. Em 2013, os aditivos para complementar a obra chegavam a R$ 104 milhões.

As obras do Aeroporto de Goiânia foram realizadas pela Odebrecht em consórcio com a Via Engenharia.

TCU,  Odebrecht, Operação Lavajato, propina,superfaturamento,Via Engenharia
Brasil,Goiás,Goiânia,Notícias Goiás,goias,goiania, Aeroporto de Goiânia